Cultura

Sapatos Icônicos nas Telonas

A gente sabe que nos filmes é tudo pensado para ornar com as cenas e ajudar a contar a história, né? Desde a roupa do personagem até os objetos que vão ficar desfocados e em segundo plano na cena.
Pensando nisso, hoje vamos falar sobre os sapatos que se tornaram tão icônicos que até roubaram a cena em algumas produções. Algum palpite de quais são?
 

O Mágico de Oz
Não tem como começar esse post sem falar dos sapatinhos da Dorothy em O Mágico de Oz, né? Interpretada por Judy Garland, os sapatinhos vermelhos de lantejoulas da personagem já fazia sucesso antes mesmo da história entrar para o cinema. Mas foi nas telonas que ele se consagrou e tornou um dos calçados mais lendários dos filmes – isso porque foi um dos primeiros a aparecer no cinema em cor.
 

Uma Linda Mulher
Uma das cenas mais marcantes do filme é quando Julia Roberts aparece na tela com as botas pretas de verniz e cano longo, caracterizando a prostituta Vivian Ward. O sapato se tornou tão icônico que até fez parte do look usado pela atriz no cartaz de divulgação do longa! Vale lembrar que nos anos 90 as over the knee boots não eram tão comuns e foram um dos sapatos mais comentados da época por conta do filme. Hoje, ela é desejo entre as fashionistas do mundo afora.
 

Sex And The City
Se tem uma coisa pela qual Carrie Bradshaw era conhecida, eram por seus sapatos. Assumidamente viciada em calçados, é fácil lembrar que a marca preferida da personagem vivida por Sarah Jessica Parker era a Manolo Blahnik – o que trouxe grande visibilidade pra marca. E, se tem uma cena marcante envolvendo os eternos Manolos, é quando Mr. Big a pede em casamento no primeiro filme, utilizando um par azul royal no lugar do anel. Mais Carrie impossível, né?
 

Cinderela
Seja em filme, nos livros, nos desenhos… o sapatinho de cristal é a marca registrada da história da Cinderela e a verdadeira estrela do filme. Aliás, quem não sonhou em ter seu próprio sapatinho de cristal desde criança? No filme, podemos ver que o calçado é o ponto que muda a vida da Cinderela – e, por isso, se tornou tão famoso assim.
 

Grease – Nos Tempos da Brilhantina
Tá ai mais um exemplo de sapatos que foram sucesso antigamente e voltaram com tudo hoje em dia. Dessa vez, nos anos 70, Sandy Olsson, vivida por Olivia Newton-John, arremata o look principal do filme, na cena icônica de “You’re The One That I Want” com um sapato mais icônico ainda: os tamancos vermelhos de salto alto, que, ao lado da roupa de couro, ajudam a mostrar o quanto o estilo da personagem mudou desde o início da história.
 

Dirty Dancing
Mais um musical e mais uma tendência resgatada. Já nos anos 80, Baby fez os Keds branquinhos e super básicos virarem febre. Hoje, os tênis total white seguem sendo nossos queridinhos há um bom tempo – e devemos tudo à Jennifer Gray.
 

De Volta Para o Futuro
Quem não lembra do deslumbre de Marty McFly a chegar no futuro e ver o que as pessoas usam nos pés: os Nikes com luzes e cadarços automáticos. Sabe o que é mais legal? Em 2015, a Nike lançou o Nike Mag, totalmente inspirado no filme (mas, sem os cadarços automáticos rsrs).
 

Kill Bill
O look total amarelo de Beatrix Kiddo em Kill Bill é marca mais do que registrada no filme. E, pra completar a vibe yellow, Uma Thurman eternizou os Asics Onitsuka Tiger da mesma cor.

#DicasDeFilmes: A Estreia dos Galãs nas Telonas

Nosso #DicaDeFilmes continua por aqui e dessa vez traz um tema diferente: e que eu aposto que vocês vão curtir bastante!
Todo mundo conhece os atores que são considerados os galãs de hollywood – mas, vocês sabem em qual filme eles estrearam no universo do cinema e que deu o pontapé inicial na carreira de cada um? É o que eu vou contar aqui hoje!
 

 

BRAD PITT: O Príncipe das Sombras (1988)
O eterno galã Brad Pitt apareceu nas telonas pela primeira vez em 1987, mas fazendo apenas algumas pontinhas como figurante em filmes como “Atraídos Pelo Perigo!” e “Hunk”. Mas foi só um ano depois, em 1988 que ele deu vida ao seu primeiro protagonista: Rick, do filme “O Príncipe das Sombras”. Ele é um jovem que sofre de uma rara doença de pele que o impede de ficar exposto a qualquer luz – principalmente a luz do sol. Ele tenta se curar por diversas vezes, mas, sem obter sucesso, seu pai resolve o levar para a Iugoslávia, onde há um curandeiro que supostamente pode ser a resposta de sua doença. Essa tentativa acaba falhando como todas as outras e, nesse momento, Rick decide esquecer a sua doença e aproveitar a vida, começando por sentir o sol em sua pele pela primeira vez.
 

DI CAPRIO: Criaturas 3 (1991)
Leo Di Caprio já estreou no cinema com um dos papéis principais do filme de terror “Criaturas 3” – a terceira edição da série “Criaturas”. Com apenas 17 anos, eles interpretou Josh, um menino que volta de férias para casa, com seu pai e sua irmã, e se depara com uma situação assustadora na cidade: vários monstros estão se reproduzindo e atacando as pessoas, tentando comê-las, no bloco de prédios em que eles moram. Será que hoje em dia ainda dá medo?
 

RYAN GOSLING: Tolerância Zero (2001)
O lindo, mais conhecido pelo seu papel em “Diário de uma Paixão”, estreou no cinema em 1996, mas, ainda, com papéis pequenos. Em 2000 chegou a participar do filme de sucesso “Duelo de Titãs”, mas, foi só em 2001 que interpretou o seu primeiro protagonista em “Tolerância Zero” – um longa com o roteiro bem forte. No filme, Daniel, vivido por Ryan, um aluno de uma escola judaica que acaba se juntando ao movimento violento chamado “skinhead” e perseguindo os estudantes judeus.  O filme retrata a luta em que ele se encontra, descobrindo sua verdadeira e nova personalidade e, ao mesmo tempo, tentando entender o judaísmo e o papel da religião em sua vida.
 

WILL SMITH: A Lei de Cada Dia (1992)
Will apareceu no cinema pela primeira vez em 1992, atuando em “A Lei de Cada Dia”, um filme que acompanha a história de jovens amigos que fugiram da cadeia e tentam sobreviver nas ruas de Los Angeles.  Mas foi em 1993, com o filme “Seis Graus de Separação”, que Will teve seu primeiro grande papel. Ele é Paul, um jovem que aparece na porta de um casal da alta sociedade, alegando que precisa de ajuda após ter sido vítima de um roubo no Central Park. Ele diz que conhece os filhos do casal, cozinha, diz que é filho de um famoso ator e acaba encantando o casal com a sua conversa e passando a noite ali. Mas, na manhã seguinte, é revelado que a sua história não passa de um golpe e isso terá um enorme impacto na família de formas inimagináveis.
 

CHRIS EVANS: Não É Mais Um Besteirol Americano (2001)
Talvez você o conheça como “Capitão América”. Em 2000, Chris fez um papel grande no filme “Travessuras da Juventude”. Mas, seu primeiro personagem mais importante foi na comédia “Não É Mais Um Besteirol Americano”. Jake, interpretado por Chris, é o garoto mais popular da escola e, por conta de uma aposta com seus amigos, ele precisa transformas Janey em uma garota linda e a levar para o baile. O mais engraçado é que, ao longo do longa, vários filmes famosos, como “Ela é Demais”, “Segundas Intenções”, “American Pie” e “10 Coisas Que Eu Odeio Em Você” são satirizados das formas mais hilárias possíveis!
.

Feliz Páscoa!

Hoje é sexta-feira santa e isso significa que a páscoa já tá quase aí! E quem não ama esse feriado já que ele é recheado de uma das coisas mais gostosas do mundo: chocolate?
Mas, como a gente bem sabe, a páscoa na verdade é uma das festividades mais importantes para os cristãos, pois em sua data é comemorada a ressurreição de Cristo. O ovo de chocolate foi adotado como um símbolo, assim como a tradição de presentear amigos, família, e principalmente, as crianças, com essa delícia. Mas vocês sabem como isso surgiu?
Na antiguidade, os ovos simbolizavam o nascimento, a vida que retorna. Na Grã-Bretanha, as pessoas escreviam mensagens para seus amigos nos ovos, muitas vezes todo enfeitado. Na Armênia, eles eram dados juntos a retratos de Cristo e imagens religiosas. Mas, nessa época, os ovos não eram comestíveis ou de chocolate – eram apenas um símbolo mesmo. Foram os franceses que tiveram a ideia de unir o útil ao agradável. Os confeiteiros, no século XVIII, viram uma boa oportunidade de fazer os ovos com chocolate, substituindo os ovos naturais e tornando o simbolismo em algo mais atrativo para presentear os conhecidos.
A moda pegou e até hoje adotamos os deliciosos ovinhos de páscoa para comemora a data! Aqui no Brasil, a gente tem a tradição de se reunir com a família para comemorar a data em meio às refeições e a troca dos chocolates – no entanto, pelo mundo afora, vários modos super diferentes de festejar são seguidos. Olha só alguns dos mais interessantes!
 

No México, o ovo – chamado de Cascarones – também é utilizado como símbolo, mas por lá, a tradição é fazer guerras com ovos recheados com confetes, brinquedos ou doces. Assim, quando o ovo é quebrado em meio à disputa, as crianças podem pegar os prêmios. Por lá, acredita-se também, que levar um Cascarón na cabeça é sinal de boa sorte! A Bulgária tem um costume parecido – guerras de ovos também acontecem, mas, são ovos cozidos de pato ou galinha. Por lá, os adversários jogam o ovo no ar de maneira que eles se choquem, e o vencedor é o dono do ovo que continue com a casca intacta mesmo após o choque.
 

A Suécia tem uma das tradições mais diferentes: por lá, no dia 30 de Abril, é celebrado o Walpurgis, onde os suecos ascendem fogueiras para afastar o mal e as crianças se fantasiam e saem pelas ruas. E, como a páscoa é próxima à essa festividade, os pequenos pedem, para os vizinhos, vários docinhos e agradinhos. Bem semelhante ao Halloween, né?
Se aqui no Brasil o animalzinho símbolo da páscoa é o coelho, lá na Polônia eles adotaram o cordeiro! E o mais interessante é que a tradição é que a família faça uma escultura de um cordeiro de manteiga em casa, que mais tarde, será servido durante o almoço de páscoa. Diferente!

Olha só que legal essa tradição nos Estados Unidos: no feriado da páscoa, as crianças saem em uma caça de ovos pela Casa Branca, acompanhadas do presidente e da primeira-dama! O costume já sobrevive por mais de um século por lá e, além do chocolate, eles ganham ovos com o autógrafo do presidente para colecionar.
 

É isso galera! Gostaram das curiosidades?
Uma feliz páscoa pra vocês, recheada com muito chocolate e muita felicidade!

#DicasDeFilmes: Edição Animação

Galera, o lançamento – que aconteceu a pouco no Brasil – do filme A Bela e a Fera foi uma loucura e todo mundo ficou super ansioso e animado para ver um dos mais queridos clássicos da Disney ganhar vida nas telonas, né?
Pensando nisso, o #DicaDeFilmes de hoje vai falar do gênero que agrada todas as pessoas e idades: os desenhos animados!
 

Operação Big Hero
Esse desenho é inspirado nos quadrinhos do universo da Marvel, e é uma mistura de comédia, ação e aventura. O filme se passa em São Fransokyo – uma mistura de São Francisco e Tokyo – acompanhando a história de Hiro, um jovem de 14 anos que vive com seu irmão e sua tia e é fissurado por robótica. Ele acaba inventando algo chamado “microbôs”, robôs minúsculos que se combinam para destruir tudo o que o usuário imaginar e apresentando a invenção em uma feira de robótica – onde, mais tarde, acontece um acidente e seu irmão acaba morrendo. Hiro fica muito triste com a situação e acaba se isolando de tudo, mas, um certo dia, ele resolve reativar um robô que foi trazido pra casa por seu irmão – o Baymax. Os dois acabam descobrindo um armazém que roubou sua ideia e está produzindo microbôs em massa e, sabendo o quão isso é perigoso, Hiro e Baymax montam um time de super-heróis que almejam derrotar o inimigo. A história fala muito de superação e sobre os valores de família e de amizade, e fez tanto sucesso em seu lançamento que foi a maior bilheteria do ano de 2014! Além disso, o filme venceu os Oscars de Melhor Filme de Animação e Melhor Curta-Metragem de Animação.

 

Festa da Salsicha
É importante lembrar que esse filme é uma animação voltada pra adultos. Com muito humor, esse filme se passa em um supermercado, onde os alimentos pensam que os humanos são deuses que os escolhem para serem levados ao “grande além”, um paraíso perfeito. A confusão começa quando eles descobrem que são levados, na verdade, para serem cortados e cozidos e comidos! Frank, uma salsicha e o personagem principal, descobre a verdade, ele luta para convencer os outros alimentos da verdade e conseguir ajuda na luta contra os humanos. O filme é muito engraçado, mas conta com algumas piadas mais “picantes”, e por isso, é indicado para maiores de 16 anos.
 

A Noiva-Cadáver
Victor Van Dorst, um jovem, filhos de novos-ricos está jurado a casar-se com Victoria Everglot, filha de aristocratas falidos, já que o casamento beneficiará ambos os lados. No entanto, Victor fica nervoso e acaba arruinando seu ensaio de casamento, fugindo para a floresta para ensaiar seus votos de casamento. Tudo começa quando, ao ensaiar, ele coloca o anel de compromisso em um velho galho, que acaba por ser o braço de uma noiva cadáver. Acreditando que ele a pediu em casamento, a noiva leva Victor para a Terra dos Mortos, onde, apesar de sempre tentar fugir, ele acaba descobrindo ser um lugar muito mais animado do que o vilarejo onde vive.
 

Mary & Max
Esse é um filme australiano baseado em uma história real. Conta a história de uma menina de oito anos, Mary Daisy Dinkle, que vive na Austrália e Max Jerry Horovitz, um homem de 44 que mora em Nova York, muito sozinho e com Sindrome de Asperger. Ele conta como que mesmo com a distância e a grande diferença de idade, os dois conseguem construir uma amizade muito forte e verdadeira, passando por todos altos e baixos da vida. O filme foi muito bem recebido pela crítica e tem uma aprovação de 95% no Rotten Tomatoes , o site da Universal e Warner, especializado – e muito respeitado – em críticas e notícias do universo do cinema.
 

 

O Banquete
Esse filme é, na verdade, um curta da Disney e é muito fofo e engraçado! Ele conta sobre a vida amorosa de um homem, só que pelo ponto de vista de seu melhor amigo: Winston, um cãozinho que foi encontrado abandonado por ele. O engraçado é que o bichinho adora comer besteiras, e assim que a mulher se muda pra casa de seu dono, comidas saudáveis começam a ser servidas e ele faz careta toda vez que algo verde aparece em seu prato. De uma forma muito inteligente, o filme mostra esse amor inexplicável entre os pets e seus donos, que nos faz dar muitas risadas e soltar vários suspiros mesmo em pouco mais de cinco minutos de filme!

Oscar 2017

Galera, hoje a gente dá uma pausa na folia do carnaval pra falar de uma celebração que é tão aguardada quanto: a 89ª edição do Oscar! 
Consagrando os melhores filmes do ano de 2016, a cerimônia foi comandada pela primeira vez por um dos mais famosos apresentadores americanos: Jimmy Kimmel, que animou o público  com muito humor e muitas alfinetadas. Um dos seus momentos que mais chamou atenção na noite, foi quanto ele pegou seu celular e enviou um Tweet para o então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, perguntando o porquê ele ainda não havia twitado sobre o Oscar, junto a um belo #Merylsayshi (#Meryldizoi), fazendo referência ao discurso da atriz no Globo de Ouro em crítica ao Trump.
 

Falando nos favoritos da noite: as apostas se concretizaram e o musical La La Land fora mesmo o mais premiado da noite. O filme estava indicado em 14 categorias (só o filme “Titanic teve tantas indicações assim!) e acabou faturando 6, incluindo Melhor Direção e Melhor Atriz pra linda Emma Stone, que se emocionou demais ao subir ao palco para receber a estatueta. Já Damien Chazelle se consagrou como o diretor mais jovem a receber um Oscar, com apenas 32 anos de idade. 
Outro destaque da noite foi o drama Moonlight, que faturou 3 prêmios, incluindo a categoria mais importante da noite: Melhor Filme. Aí que vem o bafo, gente: os atores Faye Dunaway e Warren Beatty (eternos Bonnie e Clyde, que subiram ao palco em comemoração aos 50 anos do icônico filme) receberam o envelope errado na hora de anunciar o prêmio! O papel nas mãos deles era referente à categoria anterior, contendo o nome de Emma Stone e La La Land. O ator se mostrou confuso, mas acabou anunciando o musical como o Melhor Filme e, quando a equipe deste já estava no palco, com o prêmio em mãos e fazendo o discurso de agradecimento, a produção teve que interromper para revelar o erro e contar que a estatueta ia, na verdade, para Moonlight! Que situação, né? Olha o momento aqui pra quem não conferiu!
 

LOOKS
Dramas à parte, agora vamos falar da nossa parte favorita do evento: os looks! As composições do Oscar são, certamente, uma das mais esperadas da maratona de premiações, já que o dresscode do evento é mais rigoroso e exige aquele glamour a mais. As celebridades, é claro, não decepcionaram e foram trabalhadas nos longos com tecidos bordados, brilhantes e texturizados. Os mais simples, foram complementados com acessórios mais exuberantes para o equilíbrio perfeito. E ai, qual o preferido de vocês?