Estilo

Trend Alert: Estampa Vichy

Tenho certeza que, nos últimos dias, vocês viram essa estampa pela internet afora. Ela se chama Vichy e promete ser a próxima tendência absoluta e must-have no guarda-roupa de todos nós!

É uma variação do nosso bom, velho e clássico xadrez e lembra muito uma toalha de piquenique. Da blusinha ao sapato, do lenço à saia, a estampa tem aparecido em todos as peças por aí, e tem sido uma tarefa praticamente impossível não vê-la pela feed do Instagram ou do Pinterest. Sucesso garantido, né?
 

A tendência não vem de agora. A estampa Vichy fez sucesso nos anos 50, com Brigitte Bardot sendo sua maior representante. A atriz – pasmem – até casou com um vestido dessa estampa!
 

Não tem jeito: em pleno 2017, mais de 60 anos depois, o Vichy virou coringa no look das fashionistas. Ele deixa qualquer visual mais divertido, sem exageros e sem sair do básico, permanecendo na linha chique. Alguma dúvida de que ainda vamos ver muito dessa estampa por aí?
 

Pra finalizar, deixo com vocês algumas imagens para também se apaixonarem pela tendência!

Vamos Falar de Sobreposições

Sobrepor é uma ótima ideia para dar um toque de estilo, elegância e modernidade ao look. Além disso, é uma forma de, muitas vezes, dar uma carinha nova àquela peça que você já usou um milhão de vezes.

No entanto, juntar tantas peças pode acabar causando um certo medo na hora de combinar. Por isso, hoje trago para vocês algumas dicas sobre como montar um visual sobreposto sem errar!
 

É muito importante experimentar e saber o que funciona melhor pra você. Uma ótima dica é montar, sem medo, os looks em sua cabeça e ir pra frente do espelho, experimentando todas as combinações possíveis!
 

Importante lembrar, também, que sobreposições criam camadas, e que camadas resultam em volume. Por isso, o mais indicado é sempre utilizar peças leves para sobrepor, não aumentando, assim, tanto a impressão de volume.
 

Saber brincar com as cores é peça chave. Elas não precisam pertencer à mesma cartela, mas é essencial harmonizar os tons, se não, o visual pode ficar muito bagunçado. Além de cores, misturar texturas também é super indicado. Brincar com transparência, renda, tecidos mais fluidos e vaporosos dá um ar sofisticado e interessante ao visual.
 

Vestidos de alcinha com blusinhas por baixo, pulôver com camisa social, vestido e meia-calça, cachecóis longos, casacos com mangas dobradas e camisetas de manga comprida por baixo – existem mil e uma formas de se arriscar nesse universo. Então, pra finalizar, deixo vocês com algumas imagens para se inspirar e morrer de vontade de experimentar a tendência!

Especial: Cuidado Para as Peles Negras

Vocês sabiam que o mercado da moda e da beleza ainda é bastante carente em relação às mulheres negras? Em uma pesquisa feita pela The Fashion Spot, foi apontado que apenas 8% das modelos que estampam grandes campanhas são negras. Além disso, elas relatam que são poucas as marcas de maquiagem que possuem uma variedade de cores que atenda as nuances das peles negras e, ainda, que muitos maquiadores profissionais são despreparados para lidar com as peles mais escuras.

Por isso, o post de hoje vai ser um especial, recheado de dicas e esclarecimentos sobre como deve ser o cuidado das peles negras. Bora conferir?
 

É preciso saber que a pele negra possui um alto nível de melanina e que, sim, isso promove uma proteção natural maior do sol – o fator de proteção é estimado em 13,4. Mesmo assim, o uso de protetor solar é indispensável! FPS 15, no mínimo, é o indicado – até mesmo porque a abundância de melanina faz com que as peles negras sejam mais propensas a desenvolver manchinhas. Isso acontece porque, quando a pele precisa passar por algum processo de cicatrização, a pigmentação da pele é ativada, então qualquer pequeno machucado inflamado ou irritação pode acabar resultando em uma mancha. O ideal aqui é prevenir: produtos com vitamina C e ácido fítico são altamente indicados para minimizar as chances das manchinhas indesejáveis aparecerem.

Muitos pensam que a pele negra é, sempre, oleosa. A verdade é que a pele negra pode ser de todos os tipos – oleosa, normal, mista e seca. O que acontece é que a pele oleosa é mais comum entre os negros, uma vez que a secreção das glândulas sudoríparas é maior nesse tipo de pele. Muita hidratação e produtos free oil são os must have desses casos!

Um dos maiores pontos positivos é que a pele negra possuí mais colágeno – o que a torna mais elástica e resistente aos efeitos de idade. Por isso, ao escolher uma maquiagem, por exemplo, não é preciso se preocupar tanto com os produtos mais densos, que costumam acumular nas linhas das peles.

É muito importante saber se o fundo da sua pele é amarelado ou rosado. Isso porque, quando aplicado um tom muito diferente do seu, o risco que a pele fique acinzentada é gingantesco! Já fiz post aqui no blog, explicando tudo para descobrir qual seu subtom – se você ainda não conferiu, clique aqui!

São Paulo Fashion Week N44: Verão 2018

Galera, o mês de Agosto foi fechado com chave de ouro: ontem, no último dia do mês, rolou o dia final de desfiles do São Paulo Fashion Week N41, que teve início no dia 27.

A edição desse ano celebrou a diversidade, a criatividade e o otimismo.
 

Como não podia deixar de ser, a gente fica ligado no que é apresentado nas passarelas pra saber o que promete bombar na próxima temporada – o Verão 2018. E é isso o que venho trazer pra vocês: o que de mais interessante foi desfilado nessa edição!
 

JULIANA JABOUR
A coleção da Juliana Jabour resgatou algo que já foi sucesso alguns verões atrás e que a gente ama: o tema náutico! Inspirado nos EUA dos anos 2000, a passarela se encheu de referências ao street style e à cultura underground. Moletom cropped, peças oversized, muuuitos babados e sandálias plataformas foram os destaques da coleção.  E, é claro, as cores características do tema: branco, azul e vermelho.
 

HELO ROCHA
Faz um tempinho que as roupas com carinha de pijamas e moda íntima tem feito sucesso nas ruas – e foi exatamente nisso que Helo Rocha apostou! As roupas foram inspiradas em lingeries vitorianas, trazendo a feminilidade e a sensualidade nas peças – sem deixar a elegância de lado. Cores claras, suaves e rendas e bordados predominaram a coleção, assim como os tecidos fluídos em todas as peças.
 

AMIR SLAMA
A moda dos anos 50 apareceu! Inspirada na década e nas vedetes do Brasil, a marca trouxe tons de nude, vermelho, roxo e até brilho para a moda praia! Com modelagens inspiradas nas lingeries dos anos 50, relembrando Marilyn Monroe e Carmen Miranda, o que chamou mais atenção foram as peças estruturadas no busto, com recortes super diferentes.
 

GLORIA COELHO
O desfile da Gloria Coelho foi um dos mais comentados pela internet afora. Isso porque Gloria escolheu mulheres mais reais, de diferentes biótipos, pra representar sua marca – e não apenas modelos.  O casting contou com um time de peso:  Alinne Moraes, Marina Lima, Cássia Ávila, Isabella Fiorentino, Camila Coelho, Thereza Fitipaldi, Traudi Guida,  Maythe Birman e Paola de Orleans e Bragança. O tema da coleção era The Crown, inspirado na coroa Inglesa e na cultura do Reino Unido. Cores mais sóbrias, com poucos toques de cor, peças assimétricas, transparência e o shape quadrado prenominou a passarela. Abordando o empoderamento feminino, em alguns momentos as mulheres desfilaram até com uma coroa geométrica. Incrível, né?
 

ANIMALE
Vitorino Campos se inspirou em sua recente viajem ao Vietnam para montar a coleção do Verão 2018 da Animale. Estampas florais, assim como aplicações de mini-flores nos tecidos – simulando um jardim – chamaram atenção. Peças com recortes assimétricos e muitas texturas diferentes foram as apostas da marca.
 

ÁGUA DE COCO
Mais uma inspiração internacional: Bali, na Indonésia. Estampas inspiradas na natureza e cores que seguem essa linha de folhas e terra foi o que deu o ar para a coleção. Tudo lembrava paisagens tropicais e peças mais ajustadas ao corpo foram escolhidas.
 

PATBO
A coleção da PatBo manteve a cara da marca: feminina e elegante. Inspirada na cultura brasileira e com traços americanos, as peças trouxeram o ar sofisticado do clima de um resort.  Materiais naturais e bordados minimalistas foram o destaque, resgatando a moda dos anos 20 aos anos 90. Como a estilista classificou, “Uma viagem ao passado que é atual”.
 

OSKLEN
Olha só essa ideia que legal, gente! A coleção da Osklen foi inspirada pelas obras da pintora Tarsila Amaral. Elas contam uma história: os primeiros looks são limpos, como uma tela em branco. Os esboços de Tarsila vão surgindo aos poucos, para, mais tarde, dar espaço às cores e estampas – estampas essas que são, literalmente, algumas das obras da artista.

Cachecóis, Echarpes e Lenços

Cachecóis, echarpes e lenços. Todos itens charmosos, quentinhos e a cara do inverno – mas, você realmente sabe a diferença entre eles e em que situação usar cada um? É sobre isso que vamos falar hoje – e, claro, com muitas fotos para nos inspirarmos!
 

Lenço
Os lenços têm um formato quadrado e são menores. Além disso, eles são feitos de tecidos mais leves. O acessório não precisa ser usado somente no pescoço – amarrado no pulso, na cabeça, como prendedor de cabelo e de várias outras formas, como já vimos aqui no blog. O lenço se assemelha a uma bandana, e entre os três itens dessa lista, é o mais versátil, e o único que não se prende apenas à estação mais fria do ano.
 

Echarpe
Já as echarpes são retangulares, com as laterais mais compridas e os tecidos continuam sendo leves, porém, dessa vez, o tecido é, normalmente mais sofisticado, como o cetim e a seda. As echarpes podem ser deixadas de lado no dia a dia e usadas em eventos que pedem um visual mais arrumado. Ela vai, geralmente, jogada sob os ombros.
 

Cachecol
O cachecol é o que tem mais a carinha do inverno dos três. Eles são ainda mais compridos e finos e a peça geralmente é feita de tricot ou lã – tecidos bem quentinhos, ou seja, indicado para os dias mais frios. Apesar de ser apenas usado em volta do pescoço, existem várias formas diferentes de amarrá-lo.